CULTURA ORGANIZACIONAL

Toda empresa nasce com muitos planos, e para alcançá-los seus gestores vão procurar transformar as ideias em produtos ou serviços diferenciados, vão trazer talentos para representarem a empresa nas diferentes áreas: atendimento, vendas, administrativo, fábrica. Os gestores vão motivar os times, mostrar como entregar com qualidade aquilo que a empresa se propõe a fazer, também vão se colocar como exemplos, para que os colaboradores pensem que um dia estarão também em condições melhores na empresa.

Este conjunto de valores, crenças, regras que serão usadas no dia a dia entre os colaboradores, no trato com fornecedores, clentes, forma a Cultura Organizacional da empresa. A imagem que se forma a partir desta Cultura tem grandes chances de ser positiva, a empresa alcança com tempo e esforço prestígio, confiabilidade, reconhecimento, em especial quando está alinhada com aspectos importantes como ética, responsabilidade social, competência, compromisso, participação, engajamento.

Existem vários tipos de cultura organizacional, particularmente acredito naquele que respeita a marca e cultura da liderança enriquecida, a partir de um ambiente positivo e motivado, condições atrativas de trabalho – plano de carreira, treinamento, funcionários identificados com os valores da empresa.

CULTURA ORGANIZACIONAL EM TEMPOS DE CRISE

Em momentos de crise, a Cultura Organizacional sofre grandes abalos, afinal, cargos são enxugados, demissões geram incertezas, conflitos, ou um termo que creio ser muito aplicável, que são os “demitidos emocionalmente”, que estão empregados mas de tal forma preocupados com tudo que acontece ao redor, realizam o estritamente esperado na espera de chegar sua vez de ser demitido.

Apesar de tudo isso, é importante buscar manter vivos os valores da organização, assim, junto com os esforços para otimização de sistemas e processos para redução de custos como forma de preservar as finanças, enxugamento de folha, ainda que todas estas coisas gerem ansiedades e aflições, também deve-se preservar o ambiente, os talentos, a Cultura da empresa, necessários para manter também a qualidade, a fidelidade dos clientes, o desempenho dos produtos e serviços.

Isto se consegue quando os gestores simplesmente preservam a Cultura Organizacional, chamando os colaboradores para dar-lhes o que de fato e real está acontecendo, o que a empresa está precisando fazer neste momento, onde que ela deseja chegar e, uma vez conseguindo, o que poderá recompensar os que não largarem o barco no momento que mais se precisa de remadores.

Sabendo que a empresa não vai abandonar sua visão, sua missão, os colaboradores terão mais vontade de se manterem alinhados, e aí entra uma figura muito importante: os líderes, que podem trabalhar para evitar conflitos internos, tentar manter as equipes engajadas para todos juntos conduzirem a empresa durante a crise.

Cultura Organizacional de Aprendizado.

Falamos de crise, de manutenção da Cultura Organizacional, e uma transformação que traz maiores possibilidades das empresas estarem aptas para enfrentarem e vencerem o mundo dinâmico e de constantes mudanças: Empresas HILO – High Impact Learning Organizations

Tudo começa quando a empresa cria uma cultura organizacional de aprendizado, não estou falando de colocar os funcionários para fazerem cursos, cultura da empresa não é dotar os funcionários de conhecimento.

Uma cultura organizacional é muito maior que isso, ela engloba valores coletivos, comportamentos, atitudes que por sua vez criam um ambiente social e psicológica dentro de uma organização e se espelham na visão, missão, estratégia, no modelo de funcionário, planejamento, fazendo com que a empresa esteja naturalmente preparada para lidar com os desafios do mundo moderno.

Existem práticas (todas estão no estudo “Bersin & Associates ‘Impact Measurement ) que levam a esta cultura organizacional, questões como que funções devem ser centralizadas ou distribuídas, como usar melhor os recursos, onde investir, que consultoria contratar, que tecnologia empregar, que recursos humanos valorizar (talentos), plano de carreira.

Também é importante saber como está o conhecimento geral da empresa, do produto à visão da empresa, o que deve estar em manuais, intranets, fixado em paredes, que formação específica para seu produto, seu serviço deve ser disponibilizada.

E chegamos onde desejo comentar um pouco mais, como está a prática de liderança, ou, como está o trabalho para identificação e desenvolvimento de liderança, pois será através destes líderes, alinhados com os valores e cultura organizacional que conseguirão um outro valor fundamental, o engajamento dos colaboradores.

Com estas práticas em funcionamento, a empresa estará melhor preparada para enfrentar os desafios. Enquanto isso não acontece, as empresas ainda se debatem tentando crescer (muitas apenas sobreviver) cercadas de mais e mais informações que não ajudam, de planejamentos estratégicos que não conseguem seguir, de funcionários desmotivados na grande maioria mais preocupados em manter seus empregos diante da crise, enfim, à procura de uma luz no fim do túnel.